empanada la guapa - 00b - superchefs

La Guapa da chef Paola Carosella e suas inspirações

A dona das sete receitas, inspiradas em diferentes tradições, é a chef argentina de ascendência italiana. “Cresci comendo pequenos pastéis feitos com uma massa parecida com a de macarrão, perfumada com erva-doce, recheada com doce de uva cremoso e pedaços de nozes. Não lembro o nome, mas eram uma delícia. Eram empanadas.”

 

Aprenda a fazer a massa e o recheio de uma empanada portenha.

 

No La Guapa, água, sal, farinha e banha de porco compõem a massa (já usada no Arturito). Segundo a chef, é importante para uma boa empanada ter a massa fininha, mas que contenha o recheio. “Não se pode ter medo da cor, que dá as nuances do sabor.”

 

Montar empanadas é função para quem tem mãos delicadas. “Para fechá-las e fazer o ‘repulgue’ (o arremate na borda dos pastéis) é preciso ter dedos pequenos. Tradicionalmente, quem faz as empanadas são as mulheres“, afirma Paola.

 

empanada la guapa - 00 - superchefs

Empanadas pucacapa, de queijo e cebola, e humita, de milho verde e queijo, do La Guapa. Foto Eduardo Knapp/Folhapress

 

Em países latino-americanos, vender empanadas ainda é um recurso feminino para complementar a renda. “Viajei pela América Latina para pesquisá-las, vi muitos fornos e muitas ‘guapas’, que são mulheres corajosas, valentes. Por isso fizemos essa homenagem“, conta a chef.

 

Paola-Carosella-Benny-Goldenberg-04-superchefs

 

A nova casa tem, por exemplo, empanadas de inspiração argentina. A saltenha, baseada nas receitas da região de Salta, tem formato tradicional, com carne moída, azeitona, batata e ovo. Já a portenha é fechada com três pontas e recheada com tomate assado e queijo cremoso.

 

Outras duas opções são de origem boliviana. A pucacapa é redonda, com queijo, cebola e coentro, enquanto a amarrito tem forma de charuto, com presunto e queijo.

 

Todas custam R$ 6,30. “É algo simples, para comer no meio-fio. Mas com receitas tradicionais, com cada empanada sendo fechada e assada na hora, em um forno especial“, diz Benny Goldenberg. Segundo os sócios, a pequena casa, de 12 lugares, deve ter outras unidades.

 

LA GUAPA
ENDEREÇO r. Bandeira Paulista, 446, Itaim Bibi; tel. (11) 3079-2631
HORÁRIO de seg. a sex., das 10h às 22h; sáb., das 10h às 17h

 

OUTRAS RECEITAS

El Guatón
Quem indica o chef colombiano Dagoberto Torres, do Suri
Como é de estilo chileno, a de calabresa tem recheio suculento, sem encharcar a massa leve e fina (R$ 6,50)
Onde r. Artur de Azevedo, 906, Pinheiros; tel. (11) 3085-9466
Horário de seg. a sex., das 12h às 15h e das 17h à 0h; sáb., das 12h à 0h; dom., das 12h às 16h30
Rincón La Llajta
Quem indica o chef boliviano Checho Gonzales, da Cebicheria Gonzales
Como é saltenha, boliviana, de massa adocicada e recheio picante (R$ 5)
Onde al. Cleveland, 689, Campos Elíseos; tel. (11) 3221-7821
Horário dom., das 11h às 18h

 

Martín Fierro
Quem indica Josimar Melo, crítico da Folha
Como é receita argentina, tem massa sequinha e recheio suculento (R$ 5,50)
Onde r. Aspicuelta, 683, Vila Madalena; tel. (11) 3814-6747
Horário de seg. a dom., das 12h às 23h

 

Fonte: Estado de São Paulo/Magê Flores

Deixe sua opinião, assim podemos melhorar.

Artigos Relacionados