Tassia Magalhaes - 00 - superchefs

Com nova chef, restaurante perde uma estrela após reavaliação do crítico

 

O Pomodori está com novo menu, atualizado pela chef Tássia Camargo. A jovem de 24 anos pegou uma pesada tarefa ao se tornar (no começo do ano passado) titular de uma cozinha com a história de ser uma das melhores do Brasil, mas conturbada pela constante mudança de chefs em decorrência de atritos com a proprietária.

 

Tassia Magalhaes - 01 - superchefs

A chef Tássia Magalhães, 23, do restaurante italiano Pomodori

 

Em meio à turbulência, ela vem se saindo bem, mas não tem a mesma regularidade nem o caminho cristalino e com forte marca pessoal que teve Jefferson Rueda, o penúltimo titular.

 

Tassia Magalhaes - 02 - superchefs

Triângulos negros de bacalhau com espuma cítrica, tomate assado e grana padano, uma das opções do menu do Pomodori

 

Mesmo assim, com Tássia o Pomodori consegue se manter entre as grandes cozinhas da cidade, segurando o desempenho de pratos que já eram marca registrada e, aos poucos, introduzindo suas próprias sugestões —nem todas bem-sucedidas, mas, nestes casos, elas logo são retiradas.

 

Tassia Magalhaes - 05 - superchefs

Outro prato de Tássia Magalhães no Pomodori, o “strozzapreti” com linguado em salsa de manjericão

 

Entre os pratos do novo menu estão: vieiras grelhadas com creme de mandioquinha e bolhas de limão; cavatelli com camarões, pancetta, manjericão, minimilho e vagem holandesa; e triângulos negros de bacalhau confitado com espuma cítrica, tomate assado e grana padano –que resolvem muito bem este jogo de sabores conflitantes.

 

Tassia Magalhaes - 04 - superchefs

O ravióli duplo de cebola caramelizada e “grana Padano” é uma das especialidades de Tássia Magalhães

 

Já a vitela recheada com pancetta, funghi porcini e ervilhas passa do ponto, a delicada carne se perde. O que não tira o posto do Pomodori entre os melhores.

 

Avaliação: Muito bom

As informações estão atualizadas até a data acima. Sugerimos contatar o local para confirmar as informações

 

Fonte: Josimar Melo – Crítico da Folha de São Paulo

Deixe sua opinião, assim podemos melhorar.

Artigos Relacionados