javier carabe - superchefs

Cheftable, alta gastronomia em Florianópolis

Cheftable – Jantares Harmônicos & Eventos Gourmet é

uma empresa jovem que nasceu do objetivo de sondar

a receptividade da cidade de Florianópolis

para a alta gastronomia.

 

 

Montar um restaurante de cozinha criativa na cidade parecia um projeto muito ousado antes de conhecer o gosto do publico da ilha, então, Chef Javier e o encarregado de serviço de sala, Pablo Boeria decidiram abrir uma empresa de eventos gastronômicos. Iniciaram com jantares harmônicos e pequenas recepções e hoje atendem diversos tipos de eventos, desde que a proposta gastronômica seja levar aos comensais uma culinária original, criativa, contemporânea e saborosa.

 

chef-table-Javier-Carabe-05-superchefs

 

 

Os cardápios de Cheftable são personalizados, levando em conta preferências do cliente e eventuais intolerâncias ou restrições. Todas as receitas são baseadas em produtos de primeira qualidade que passam por um processo de elaboração minucioso para que o resultado do final seja uma harmoniosa combinação de sabores, cores e cheiros para que o prazer de comer comece antes mesmo de saborear o prato.

 

Em todos os eventos, Javier e Pablo vão, pessoalmente, checar os detalhes e assegurar-se de que a gastronomia e o serviço de sala serão impecáveis e que estarão de acordo com a filosofia da empresa: “Uma experiência gastronômica completa é a soma de muitos detalhes.”

 

Javier Cárabe, chef na empresa de eventos gastronômicos, Cheftable, nasceu no sul da Espanha, em Sevilla, onde formou-se em Culinária na Escola de Hotelaria. Trabalhou como estagiário em restaurantes renomados e importantes redes hoteleiras. Aos 25 anos foi o chefe de cozinha mais jovem ao ser contratado pela cadeia de hotéis Sol Meliá. Depois disso foi conhecer a cultura e a gastronomia da América Central e Latina. Tendo trabalhado em resorts em México e hotéis em Costa Rica. Quando voltou para a Espanha participou de diferentes cursos com Chefs como Joan Roca, Ferran Adria, Andoni Luis Aduriz e Dani Garcia. Essa experiência lhe deu a certeza de que a cozinha criativa era realmente o “caminho” que queria trilhar.

 

chef-table-17-superchefs

 

 

Depois de trabalhar, durante vários anos, em diferentes hotéis e restaurantes, Javier foi convidado para trabalhar como Chefe de Cozinha de um Resort Golf &Spa no sul da Espanha, e elevou seu restaurante a categoria de um dos melhores restaurantes de cozinha criativa da região, segundo a revista Gourmet Tour.

 

Tal feito gerou um convite para ser o Chefe Executivo e comandar toda a produção gastronômica de um transatlântico Foi então que teve a oportunidade de estar mais perto de cozinhas como italiana, francesa, inglesa, grega, asiática, brasileira, árabe e norte-americana, comandando cozinheiros de mais de 22 nacionalidades diferentes e servindo mais de 3000 comensais por dia.

 

Superado o desafio mar adentro, Javier aceitou participar de um projeto de consultoria para fusão de culinárias na Inglaterra e depois de um ano em terras frias decidiu pesquisar a gastronomia e a vastidão de ingredientes brasileiros, estabelecendo-se em Florianópolis com sua esposa.

 

Ao chegar á Floripa, conseguiu trabalho como professor numa escola de Gastronomia. Tal experiência lhe abriu algumas portas: Teve a oportunidade para melhorar seu Português e conhecer seu atual sócio, Pablo Boeira, com quem, entre conversas informais, concluiu que Florianópolis precisava de algo diferenciado na área da Gastronomia, então teve início a empresa Cheftable.

 

O que e quem o inspirou a se tornar um cozinheiro, quais suas primeiras lembranças?
O que me inspirou a ser cozinheiro foi a vontade de comer. Quando tinha 17 anos fui passar o verão e trabalhar nas Ilhas Canárias, na Espanha. Um adolescente, com suas limitações financeiras acaba comendo só o que sabe cozinhar; que no meu caso era espaguete com molho de tomate. Um dia, cansado de comer o mesmo, liguei para a melhor cozinheira do mundo, na época; a minha mãe, e pedi algumas de suas receitas. Foi então que teve início a minha vontade de cozinhar por prazer.

 

Os espaguetes com molho de tomate foram desaparecendo do cardápio e meus amigos começaram a aparecer mais por casa na hora do almoço. Percebi, então, que eles estavam ganhando peso; e eu, perdendo dinheiro. Foi então que decidi a começar na escola de hotelaria, para fazer o que eu realmente gostava, e gosto ate hoje: cozinhar.

 

 

Como surgiu o Chef Table?
Ao chegar a Florianópolis, conseguiu trabalho como professor numa escola de Gastronomia. Tal experiência lhe abriu algumas portas: Teve a oportunidade para melhorar seu Português e conhecer seu atual sócio, Pablo Boeira, com quem, entre conversas informais, concluiu que Florianópolis precisava de algo diferenciado na área da Gastronomia, então teve inicio a empresa Cheftable.

 

 

A Empresa
Cheftable – Jantares Harmônicos & Eventos Gourmet oferece uma gastronomia cuidadosamente elaborada, para pessoas que gostam de comida sofisticada. A filosofia da empresa é levar alta gastronomia aos mais variados tipos de eventos: de jantares na casa do cliente a eventos corporativos.

 

O tipo de culinária que oferecemos é basicamente imaginativa; o mais importante é o produto. Primamos pela qualidade da matéria-prima e respeitamos o valor gastronômico de cada produto, melhor dizendo, não precisamos de uma lagosta para fazer um bom prato, também podemos fazê-lo com anchova, por exemplo – respeitando suas devidas características.

 

Nossa cozinha tem influencias de muitos países, porém, na hora de elaborar cardápios e receitas, Brasil e Espanha são as nossas maiores influencias. A pretensão é incorporar, cada vez mais, produtos locais e extrair o melhor das receitas populares, oferecendo assim uma cozinha mais plural e contemporânea.

chef-table-09-superchefs

 

Qual a maior dificuldade que encontrou no decorrer destes anos?
A maior dificuldade que já encontrei ate agora? Acho que foi quando comecei a trabalhar para a Celebrity como Chefe Executivo, era o único espanhol num navio de mais de 1300 tripulantes. A cozinha tinha um time de 170 cozinheiros de muitas nacionalidades diferentes além de outro time de limpeza de 77 pessoas.O navio tinha doze cozinhas e mais de três mil comensais. Na época, foi um desafio.

 

 

Quais as vantagens de trabalhar desta maneira?
As vantagens de trabalhar desta maneira? A mais importante é a liberdade de poder elaborar cardápios diferentes, de acordo com os gostos e preferencias de cada cliente. A liberdade de criar, ainda que na teoria seja muito incentivada, na pratica, infelizmente, continua sendo um privilégio.

chef-table-03-superchefs

 

 

Qual a sua especialidade, o tipo ou um prato em específico?
Suponho que por ter viajado tanto e conhecido a gastronomia de muitos países diferentes, tenho um arquivo enorme de cheiros, cores, sabores e mesclas no meu cérebro. Quando vejo algum produto típico de um local, eu, imediatamente, o combino com algo típico de um pais diferente e faço uma fusão. Tudo isso com critérios, é claro. Misturar, simplesmente, se, técnica alguma não se pode chamar de especialidade.

 

Quais os ingredientes que mais gosta de trabalhar e que menos gosta?
Quanto aos produtos que mais gosto, posso dizer que são peixes, frutos do mar e cogumelos. Também sou apaixonado pela mandioquinha, foi amor a primeira vista. Não sei dizer quais produtos gosto menos, suponho que qualquer produto pode ser muito bom ou muito ruim, depende da pessoa que o cozinhe e da pessoa que o deguste.

javier carabe - video - superchefs

 

 

Como é trabalhar com gastronomia em Florianópolis?
Ate agora só posso falar bem nesse sentido. Florianópolis tem muita fome de coisa nova. Assim como em todo o Brasil, existe uma grande variedade de ingredientes por serem descobertos e produtos de qualidades que quanto combinados com boas técnicas culinárias podem tornar-se receitas fantásticas.

 

 

Qual o seu conselho para aqueles que querem seguir a paixão pela cozinha, mas têm medo de arriscar?
A cozinha é um mundo muito duro, difícil e estressante, mas também é um mundo apaixonante e divertido. Claro que está cheio de prós e contras como qualquer outra profissão. Tem gente que estuda gastronomia porque está na moda, outros porque gostam de comer, mas para trabalhar na cozinha tem que ter bem mais do que apreço pela comida e vontade de estar na moda. A cozinha exige muita dedicação, muitas horas de pratica, pesquisa, leitura, enfim, como qualquer outra profissão. Acho que ter paixão ajuda mas tem que ponderar pra decidir pela profissão.

 

 

chef-table-02-superchefs

Estagiária Daniela, Pablo Boeira e chef Javier

 

 

Se você pudesse fazer um jantar para alguém que você admira, quem seria e qual seria o cardápio?
É claro que, como cozinheiro, eu adoraria cozinhar para vários chefs que admiro, tanto profissionalmente e alguns, também, pessoalmente. É o sonho de todo chef que sempre almeja subir um degrau mais alto como profissional, mas vou levar a pergunta pro lado pessoal e talvez desapontar um pouco no cardápio; A pessoa que mais admirei e admiro é a minha avó, eu acho que o cardápio seria pescaito frito – peixinho frito em português. Ela iria adorar e eu então, nem se fala.

 

 

javier-superchefs

Chef Javier Carabe e nossos estagiarios, Maria Rita e Anselmo Arlotta

 

 

Qual a importância da equipe de cozinheiros e auxiliares em sua cozinha?
Vai parecer meio batida essa minha analogia mas ainda assim vou fazer. Pense numa equipe de football; tem sempre uma estrela ou um jogador mais talentoso, mas sem um trabalho coordenado de pessoas bem preparadas e bem treinadas não tem gol. Na cozinha é exatamente igual. No Cheftable, nos consideramos afortunados nesse sentido. Temos uma ótima atmosfera de trabalho, uma equipe de estagiários extremamente competentes e alinhados com a filosofia da empresa.

 

 

Deixe sua opinião, assim podemos melhorar.

Artigos Relacionados