festas-juninas-nordeste- bolo milho - tania bastos-superchefs

Arraiás do Nordeste

Comidas típicas, bebidas e tradições

dos Arraias do Nordeste

 

 

Fagulhas, pontas de agulhas, brilham estrelas de São João. Babados, xotes e xaxados, segura as pontas, meu coração.música de Abel Silva

 

Festas Juninas no Nordeste

O mês de junho traz consigo uma das maiores manifestações populares – as festas juninas. Elas são, em sua essência, multiculturais, embora o formato com que hoje as conhecemos tenha se originado de três importantes santos católicos, que foram introduzidos no Brasil pelos colonizadores portugueses: São Pedro, Santo Antônio e São João. As origens das comemorações são incertas.

 
Existem duas explicações para a origem do termo “festa junina”. A primeira explica que surgiu em função das festividades, principalmente religiosas, que ocorriam, e ainda ocorrem durante o mês de junho em homenagem aos três santos católicos. Outra versão diz que o nome desta festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem apenas a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina. De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

 

festas-juninas-nordeste-sao pedro-sao joao- sao antonio - tania bastos-superchefs

Santo Antonio, são João e são Pedro

 

 
No Nordeste do Brasil, em particular, é uma das festas mais comemoradas. Dentre os seus aspectos fundamentais, encontram-se as quadrilhas e o forró, as fogueiras, os balões, as procissões e novenas, e a maravilhosa culinária junina. Os portugueses introduziram o sal, o açúcar, a canela em pó, o cravo da Índia, o coco, o milho. Os índios, por sua vez, trouxeram a mandioca. Como parte fundamental da cultura brasileira, a culinária também foi reelaborada e recriada pela miscigenação de gostos e experiências de vida das principais etnias que formaram a população brasileira: a indígena, a africana e a européia.

 
Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura. Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico. As festas juninas acontecem em todos os estados do nordeste, que frequentemente disputam o título da maior comemoração.

 

 

As datas das festas juninas tradicionalmente celebradas no Brasil são:
* 16 de junho – São Antônio.
* 24 de junho – São João.
* 29 de junho – São Pedro e São Paulo.
* 30 de junho – São Marçal.

 

 

Balões

Os balões são proibidos no Brasil, mas, em outras épocas, eram usados para levar os pedidos dos fiéis para os santos.

 

festas-juninas-nordeste- baloes - tania bastos-superchefs

 

Fogueira

A luz da fogueira era o aviso de que João Batista havia nascido. De acordo com a lenda católica, o fogo foi o sinal combinado por Isabel para avisar sua prima Maria do nascimento do filho. Antigamente, a fogueira também era usada para afastar os maus espíritos das plantações.

 

Na Idade Média, durante o processo de cristianização, a fogueira passou a ser um dos elementos da festa de São João Batista. O calor serve tanto para esquentar o corpo contra o frio da época quanto para assar alimentos como batata doce e milho. Já o foguetório, segundo a tradição, serve para despertar São João.

 

festas-juninas-nordeste- fogueira - tania bastos-superchefs

 

Pau de sebo

O competidor deve escalar cerca de cinco metros o escorregadio pau-de-sebo Quem conseguir alcançar o topo ganha uma bela quantia de dinheiro no alto do tronco, o que exige muita habilidade.

 

festas-juninas-nordeste- pau de sebo - tania bastos-superchefs

 

No Balancê da Quadrilha

Dança típica das festas juninas brasileiras, é carregada de referências caipiras e matutas. Mas sua origem vem de muito longe. A “quadrille” surgiu em Paris, no século XVIII, como uma dança de salão composta por quatro casais. Era dançada pela elite europeia e veio para o Brasil durante o período da Regência (por volta de 1830), onde era febre no ambiente aristocrático.
Tudo que é moda em Paris é moda no mundo. E foi assim que a dança quadrille desembarcou por aqui, nos salões brasileiros do século 19. Não é à toa que o puxador da quadrilha usa palavras como “balancê” e “anarriê” (do francês en arrière, ou seja, para trás). Com o tempo, a marcação europeia deu lugar à cadência brasileira e o som passou a ser feito pelo triângulo, pela zabumba e pela sanfona.

 

festas-juninas-nordeste- quadrilha - tania bastos-superchefs

 
No Brasil, a contradança passou a contar com muitos pares e recebeu elementos rurais, como as roupas quadriculadas e o chapéu de palha. O ritmo também ganhou novos tons com nossas influências locais e africanas, como o tambor de criola, o forró, o xote e o baião. É possível entender os comandos na hora, mas as grandes festas exigem muito ensaio para a coreografia sair bem feita. Algumas quadrilhas chegam a contar com mais de 100 casais. As músicas e o casamento caipira que antecede a dança, também foram novidades incorporadas ao longo dos anos.

 

 

 

Comidas típicas

Como o mês de junho é a época da colheita do milho no Brasil, grande parte dos os pratos mais comuns durante os festejos de junho são feitas a partir do grão. Época de agradecer a fartura.

Comidas típicas das festas juninas – Doces
Dentre as comidas típicas das festas juninas destacam-se os doces, como canjica, pamonha, arroz doce, bolo de fubá, bolo de milho verde, cuscuz de tapioca, paçoca, pé-de-moleque, cocada, batata doce assada maçã do amor amendoim, paçoca, mané pelado (bolo de mandioca e queijo), bolo Souza Leão, bolo pé-de-moleque, bolo de mandioca, bolo de aipim ou macaxeira, bolo de carimã ou puba, mungunzá

 

festas-juninas-nordeste- comidas tipicas - tania bastos-superchefs

Comidas típicas juninas

 

 

Comidas típicas das festas juninas – Bebidas
As bebidas típicas das festas juninas são o vinho quente e o quentão. O vinho quente é um tipo de vinho no qual são adicionados cravo e canela. Já o quentão é uma mistura aquecida de aguardente, açúcar, gengibre e especiarias. No interior da Bahia é comum também o uso de licores como jenipapo, coco, cacau, e amendoim, já no Ceará a tradição é o aluá bebida feita de milho torrado, rapadura e especiarias, em Pernambuco, recebe o nome de quimbembé.

 

festas-juninas-nordeste- quentao - tania bastos-superchefs

 

 

Comidas típicas das festas juninas – Salgados
Dentre os salgados que fazem parte comidas típicas das festas juninas, são a pamonha salgada, amendoim cozido, pipoca e o milho verde cozido, e o cuscuz.

 

festas-juninas-nordeste- comidas salgadas tipicas - tania bastos-superchefs

Salgados juninos

 

Deixe sua opinião, assim podemos melhorar.

Artigos Relacionados